• Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Instagram Preto
  • Ícone do Youtube Preto
SIT5.jpg

Pluralidade na Tradução: Aspectos Sociais e Profissionais

dE 27 DE SETEMBRO a 1 de outubro DE 2021

EVENTO ONLINE 

SOBRE

 

       A Semana do Tradutor é uma reunião científica realizada anualmente desde 1980 por discentes e docentes do curso de Bacharelado em Letras com Habilitação de Tradutor, da UNESP de São José do Rio Preto.

       Em sua 40ª. edição, a Semana do Tradutor novamente será realizada junto com o Simpósio Internacional de Tradução (SIT). Trata-se de dois eventos que se complementam: à tradição da Semana do Tradutor de oferecer espaço para a discussão de questões teóricas, críticas e práticas acerca da tradução, com vistas à formação de tradutores em nível de graduação, une-se a inovação do SIT, concebido especialmente para proporcionar trocas de experiências entre pesquisadores do Brasil e do exterior.

      O tema desta edição, Pluralidade na tradução: aspectos sociais e profissionais, tenciona propor discussões tanto da esfera acadêmica quanto do mercado de trabalho, explorando a diversidade linguística e cultural que permeia os espaços políticos, econômicos e sociais nos quais a tradução transita. Dessa forma, os trabalhos a serem encaminhados à comissão organizadora serão orientados pelos seguintes eixos temáticos:

  • Ensino de Tradução

  • Tradução e Literatura

  • Tradução Audiovisual

  • Estudos de Interpretação

  • Historiografia da Tradução

  • Teoria e Crítica de Tradução​

  • Tradução, Cultura e Identidade

  • Tradução e Ciências do Léxico

  • Tradução, Tecnologias e Corpora

  • Práticas Profissionais de Tradução

  • Tradução, Interpretação e Língua de Sinais

A COMISSÃO ORGANIZADORA

CONVIDADOS

conferências:

Luise Von Flotow
(University of Ottawa - Canadá)

 

Traduzir e divulgar Clarice Lispector (e a literatura brasileira) na Itália.

Sobre:

Roberto Francavilla (1966) é Professor Associado de Literatura Portuguesa e Brasileira com habilitação a Professor Catedrático na Universidade de Génova onde, além dos cursos de Graduação, leciona no Doutorado em Literaturas Comparadas e nos cursos de Pós-Graduação da Faculdade de Letras de Lisboa. É tradutor para a língua italiana de Fernando Pessoa, Clarice Lispector, Carlos Drummond de Andrade, João Guimarães Rosa, José Cardoso Pires, Chico Buarque, Gonçalo M. Tavares, Martha Batalha, Luís Schwarcz, Marcelo Backes entre outros, tendo sido professor durante anos no Curso de Mestrado em “Tradução e Editing dos Textos literários” da Universidade de Siena. Em relação à área de Estudos Brasileiros, tem publicado vários artigos sobre a tradução e a divulgação da Literatura brasileira em Itália, sobre a representação da sociedade brasileira, sobre a relação entre poesia e música popular e sobre a relação entre vanguardas brasileiras e europeias.

 

Roberto Francavilla
(Università degli Studi di Genova
- Itália)

Copyright  Ana Beauvoir

María José Hernández Guerrero
(Universidad de Málaga - Espanha)

Dominique Nédellec
(França)

Copyright Brian Graham

Fernando Scheibe
(Brasil)

Traducción periodística: retos y oportunidades

Sobre:

María José Hernández Guerrero es catedrática del Departamento de Traducción e Interpretación de la Universidad de Málaga (España) y miembro del Grupo de Investigación Traductología e Interculturalidad. Entre sus principales líneas de investigación se encuentra la traducción periodística. Ha sido directora de Trans. Revista de Traductología y coordinadora del Máster Oficial en Traducción para el Mundo Editorial de la Universidad de Málaga, en el que imparte la asignatura de Traducción de Textos Periodísticos. Ha publicado numerosos artículos sobre este tema en las principales revistas de traducción (Meta: Translators’ Journal, Across Languages and Cultures, Perspectives, Hermeneus, etc.), y es autora de la entrada “Journalistic Translation” del Handbook of Hispanic Translation Studies, así como de los siguientes libros: La traducción periodística (Universidad de Castilla La Mancha, 2005) y Traducción y periodismo (Peter Lang, 2009).

Resumo da conferência

O Dom da tradução

Sobre:

Fernando Scheibe (Florianópolis, 1973) é doutor em teoria da literatura pela UFSC, professor de língua francesa e literaturas de expressão francesa na UFAM, tradutor, revisor e editor da Cultura e Barbárie Editora. Traduziu, entre outras escritoras e escritores, Stéphane Mallarmé, Arlette Farge, Enki Bilal, Raymond Roussel, Marcel Detienne, Moebius (Jean Giraud), Catherine Malabou, Phillipe Geluck, Michel Foucault, Alain Badiou, Jules Laforgue, Régis Loisel, Gilles Deleuze, François Bourgeon, Emanuele Coccia, Jeff Lemire, Frederik Peeters, Jacques Rancière, Georges Didi-Huberman e, sobretudo, Georges Bataille.

O Dom da tradução

Sobre:

Dominique Nédellec nasceu em 1973 e vive no Sul da França. Depois de suas primeiras experiências com o universo do livro em uma agência literária, em editoras, livrarias e sebos parisienses, foi responsável pela promoção do livro francês na Embaixada da França na Coreia (1997-1998) e, a seguir, responsável de projetos no Centro Regional do Livro da Normandia (1998-2002). Autodidata, se tornou tradutor do português quando foi viver em Lisboa, de 2002 até 2006. Dedica-se exclusivamente à tradução literária desde 2009, tendo traduzido cerca de 70 livros. Entre os autores lusos, traduziu António Lobo Antunes e Gonçalo M. Tavares. Do Brasil, traduziu obras de Vanessa Barbara, João Anzanello Carrascoza, JP Cuenca, Rodrigo Lacerda, Michel Laub, João Gilberto Noll, Murilo Rubião, Joca Reiners Terron; e HQs de R. Coutinho/D. Galera, Marcelo D’Salete, João Pinheiro e Marcello Quintanilha.

VON FLOTOW - foto.jpg
Feminist/Gender-aware Translation and Translation Studies: Evolving toward the 'Transnational'

Sobre:

Luise von Flotow has taught Translation Studies at the University of Ottawa in Canada since 1996. Her main research interests have focused on feminist and gender issues in translation, translation as cultural diplomacy, and audio-visual translation. Publications include articles and books authored and edited in these areas. She is also a literary translator, working mainly from German and French to English. Recent publications include: Manikanetish, tr. of Naomi Fontaine’s Manikanetish, forthcoming 2021; The World at Your Back, tr. of Thomas Melle’s Die Welt im Rücken 2016, Biblioasis Canada, forthcoming 2021; They Divided the Sky.

A tradução de textos literários na sala de aula:  da análise literária à prática tradutória

Sobre:

Professora associada 4 da Universidade de Brasília. Doutora (2004) e Mestre (1998) em Literatura pela Universidade de Brasília. Maîtrise en Lettres Modernes (1989) pela Universite de Rennes II, França. Licence en Français Lettres Modernes (1988) e Licence en Portugais (1987) pela mesma instituição. Realizou pesquisa de pós-doutorado na Université de Montréal (2013/CAPES), na Universidade Federal de Santa Catarina (2013) e na Université de Rennes II (2006-2007/CNPq). Coordenadora do Programa de pós-graduação em Estudos da Tradução (2011/2012; 2015/2016). Diretora da Editora da Universidade de Brasília desde 2016. Editora-chefe da revista Belas Infiéis. Organizadora da Coleção Estudos da Tradução da Editora Pontes. Estudiosa da obra de Carolina Maria de Jesus, autora brasileira, e dos franceses Nathalie Sarraute e J.M.G. Le Clézio.

Germana Henriques Pereira
(Universidade de Brasília - Brasil)

Mesas redondas:

Ensino de tradução

A relevância da abordagem de variações linguísticas no ensino da tradução

Sobre:

Vanessa Lopes Lourenço Hanes é doutora em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e atualmente é professora adjunta do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas da Universidade Federal Fluminense, onde ministra disciplinas de língua inglesa e de prática de tradução. Também atua como docente na Pós-Graduação em Estudos da Tradução (PGET) da UFSC. Pesquisa questões relacionadas com a tradução de representações do discurso oral da língua inglesa para o português brasileiro, além de interessar-se pela análise de traduções de literatura de massa comercializadas no Brasil nos séculos XX e XXI, pela tradução de variações linguísticas em diferentes mídias e seus diversos desdobramentos, e pela tradução indireta. Suas publicações mais recentes incluem artigos em periódicos nacionais (como Cadernos de Tradução) e internacionais (como Translation and Literature).

Vanessa Lopes Lourenço Hanes
(Universidade Federal Fluminense)

O lugar dos cursos de formação de tradutores no contexto acadêmico brasileiro: ontem, hoje e no futuro

Sobre:

A oferta de cursos de formação de tradutores, que aparece bastante recentemente na história acadêmica e educacional de diversos países, tem sido quase sempre vinculada a cursos das áreas de línguas e literaturas. No final dos anos 1980, a pesquisadora Mary Snell-Hornby (1988) questiona a estrutura acadêmica compartimentada em departamentos em muitas instituições europeias, que se concentravam nos estudos de línguas e respectivas literaturas de forma independente. A falta de articulação, cooperação ou diálogo entre departamentos que trabalhavam com línguas e literaturas diferentes, as quais deveriam compor as línguas de trabalho na formação do tradutor, tornava bastante difícil a construção de um currículo adequado e satisfatório para os cursos de tradução que começavam a se estabelecer em vários países. Mais recentemente, verifica-se, em diversas instituições acadêmicas pelo mundo, um movimento de busca por um espaço acadêmico-científico e didático-pedagógico autônomo para a formação de tradutores, independente das faculdades ou departamentos de Letras.

José Luiz Vila Real Gonçalves 
(Universidade Federal de Ouro Preto)

Tradução e Dublagem

Dublagem e prática: implicações entre culturas, mídia e tradução

Sobre:

Bacharel em Letras com Habilitação em Tradutor pela UNESP – IBILCE, trabalha com tradução audiovisual desde 2013, tendo realizado projetos dos mais diversos gêneros, como novelas mexicanas, seriados, reality shows e animes, tanto de legendagem quanto de dublagem, atualmente transmitidos por canais como Telecine, MTV, Discovery, Food Network e serviços de streaming. Atualmente trabalha com projetos que serão exibidos no Brasil e em países africanos de língua portuguesa e como tradutora do Selo Risco Impresso, editora especializada em narrativas experimentais.

Márcia Otoubo (Tradutora)

Tradução Juramentada

A tradução juramentada: aspectos do ofício e perspectivas de atuação

Sobre:

Possui Licenciatura em Letras - Português/ Francês pela Universidade Santa Úrsula (1989), Mestrado (1993) e Doutorado (1997) em Letras Neolatinas - Língua Francesa e Literaturas de Língua Francesa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Pós-Doutorado com pesquisa em Estudos da Tradução na Universidade Federal de Santa Catarina (PGET) (2007), Pós-Doutorado na área de Tradução Jurídica no Programa de Estudos da Linguagem da PUC-Rio (2014). É Professora Titular aposentada do Programa de Pós-Graduação em Letras Neolatinas da Universidade Federal do Rio de Janeiro e atua principalmente no âmbito dos Estudos da Tradução com ênfase em questões de Tradução e subjetividade, Tradução e Interpretação de Psicanálise e de Direito. É Tradutora Pública e Intérprete Comercial de língua francesa,inscrita na Junta Comercial do Rio de janeiro (JUCERJA).

Márcia Atálla Pietroluongo
(Universidade Federal do Rio de Janeiro / TPIC)

O TPIC no terceiro milênio

Sobre:

Jorge Rodrigues é tradutor profissional de inglês, francês, espanhol e português desde 1992, especializado nas áreas jurídica, comercial, financeira, empresarial, societária, marketing e criptomoedas. Tradutor Público e Intérprete Comercial (TPIC) de inglês e português, tradutor e intérprete da Justiça Federal, tradutor credenciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR), pela Procuradoria da República no Estado de São Paulo (PRSP) e pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). Membro da APTRAD, ATA, ATPIESP, SINTRA e credenciado pela ABRATES nos idiomas inglês-português e português-inglês. Bacharel em Tradução e Interpretação pela Universidade Católica de Santos.

Jorge Rodrigues (TPIC)

Tradução Pública e Tradução Jurada - dois sistemas e suas diferenças

Sobre:

Tradutora pública, intérprete de conferências, advogada e comunicadora, é bacharel em Comunicação Social pela PUCRS, Direito pela Uniritter, master em Relações Públicas Européias pelo Ateneo Impresa em consórcio com a Universidade La Sapienza de Roma, com especialização em Didática do Italiano L2 pela Università per Stranieri di Perugia e em Italiano Jurídico pela UFRGS. Desde 1996 tem escritórios no Brasil e na Itália voltados ao reconhecimento judicial da nacionalidade italiana e atua em processos judiciais neste âmbito e na tradução pública de documentos de registro civil e peças jurídicas e na interpretação de conferências. É inscrita nas Ordens dos Advogados Brasileira e Portuguesa e é membro da CCIRS - Camera di Commercio Italiana do RS, da APIC, da ABRATES, do SINTRA e da ASTRAJUR RS, da qual é a atual presidente. Também é conselheira do Com.It.Es - Comitê dos Italianos no Exterior - na circunscrição do RS.

Claudia de Ávila Antonini (TPIC)

A terminologia correta ao falar sobre a tradução juramentada

Sobre:

Marisol Mandarino é Tradutora Pública e Intérprete Comercial habilitada em inglês e espanhol. Faz parte do Comitê Consultivo da Associação de Tradutores Públicos de Minas Gerais (ATP-MG). Cursou Licenciatura em Português-Inglês (UFRJ), Especialização em tradução de inglês (PUC-RJ) e Pós-graduação em tradução e interpretação de espanhol (UGF), com passagem pelas cabines de interpretação inglês-espanhol da Universidad de Salamanca. Suas áreas de especialização são TI, Telecomunicações, Direito, Petróleo e Gás, RH e Ecologia. Desde 2016, tem se dedicado ao estudo da legislação da Apostille. Defende a adoção da certificação digital nas traduções juramentadas. Palestrante nacional e internacional (Espanha e Portugal).

Marisol Mandarino (TPIC)

Tradução sob a Perspectiva de Grupos Minoritários

A experiência de parto de mulheres migrantes no país da cesárea: tradução e interpretação em contextos da saúde da mulher

Sobre:

Luciana Carvalho Fonseca é professora Doutora no Departamento de Letras Modernas da Universidade de São Paulo, onde leciona Língua Inglesa e Tradução na graduação em Letras e na pós-graduação em Letras Estrangeiras e Tradução (LETRA) e Estudos Linguísticos e Literários em Inglês (ELLI). É advogada, formada em Letras e possui experiência como tradutora e intérprete de conferências. Foi pesquisadora sênior da Cátedra e Rede de Cooperação UNITWIN/UNESCO para Integração da América Latina na Fundação Memorial da América Latina (2020-2021). Colabora com o Coletivo Sycorax em projetos de tradução coletiva. Coordena o Grupo de Estudos, Pesquisa e Ação em Feminismos, Gênero e Tradução (DLM/USP). Atualmente está co-organizando número especial do Belas Infiéis (UnB) que reúne trabalhos do 9th IATIS Regional Workshop, com trabalhos sobre tradução feminista. Seus temas de pesquisa são tradução na intersecção entre poder e ativismo, tradução feminista, historiografia da tradução e escrita acadêmica em inglês.

Luciana Carvalho Fonseca
(Universidade de São Paulo)

As potências minoritárias 

Sobre:

Evelyn Schuler Zea é professora no Departamento de Antropologia da Universidade Federal de Santa Catarina, onde leciona na graduação e no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social e no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução. Atualmente faz parte da equipe de coordenação da Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica na UFSC, do Advisory Board no International Centre Interweaving Performance Cultures na Universidade Livre de Berlim e é pesquisadora do INCT Brasil Plural (IBP). Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em etnologia indígena e teoria antropológica, e em Estudos da Tradução, com ênfase em teoria, crítica e história da tradução, atuando principalmente nos seguintes temas: antropologias amazônicas e andinas, interweaving performance cultures, pesquisas e produções audiovisuais, tradução e escrita etnográficas. Entre as publicações mais recentes estão: “As potências políticas do deslocamento na etnografia, na tradução e na linguística''. Revista da Abralin, v. 17, p. 332-349, 2019, e a co-organização de 3 volumes da Coleção “Ações e Saberes Guarani, Kaingang e Laklãnõ-Xokleng em foco: pesquisas da Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica” em 2020 e 2 novos volumes da Coleção em 2021 (no prelo). 

Evelyn Martina Schuler Zea
(Universidade Federal de Santa Catarina)

minicursos:

Gabriela Haddad Peron
(Tradutora e Coordenadora
de tradução para dublagem)

Tradução para dublagem

Sobre:

Gabriela Haddad Peron é bacharel em Tradução pela Unesp de São José do Rio Preto e estudou também inglês, cinema e italiano na University of Georgia, nos EUA, durante a graduação. Iniciou na área de Tradução Audiovisual em 2015, fazendo legendas para clientes como SESC e MasterDubbing. Em 2018, foi chamada para trabalhar no renomado estúdio Vox Mundi, em São Paulo, onde se especializou em dublagem. Nesse período, adaptou as traduções de dublagens como The Bridgerton SeriesDarkElite e os premiados O FarolAbsorvendo o TabuJoias Brutas e História de um Casamento, no qual trabalhou diretamente com a especialista em adaptação Candace Whitman a pedido do diretor do longa, Noah Baumbach. Após atuar como Coordenadora de Legendas na ETC Filmes, hoje Gabriela é Coordenadora de Tradução na Centauro Comunicaciones, uma produtora multinacional com clientes como Discovery Channel, Disney+, Viacom e muitos outros.

Treinamento em Wordfast Pro

Sobre:

Reginaldo Francisco é bacharel em Letras com Habilitação de Tradutor pelo Ibilce/UNESP e mestre em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Tradutor técnico e literário, tem diversas traduções publicadas, incluindo clássicos como A volta ao mundo em 80 dias, de Júlio Verne, e obras de autores de renome, como O mundo ainda é jovem, de Domenico de Masi. É o idealizador e um dos fundadores da Win-Win Traduções e Crowdfunding. Ministra cursos de Wordfast há mais de dez anos e trabalhou no suporte do programa, dando assistência a usuários no hotline da empresa e nos estandes desta em eventos internacionais.

Reginaldo Francisco
(Tradutor/WinWin)

Breve introdução ao universo da interpretação simultânea

Sobre:

Paula Ianelli é formada em tradução pela UNESP-Rio Preto e em interpretação simultânea pela PUC-SP. Ela é certificada pela ATA e pela ABRATES, além de ser associada à AIIC e à APIC. Paula atuou como diretora da ABRATES e já apresentou diversas palestras em congressos nacionais e internacionais. Quando não está interpretando ou traduzindo, está gerenciando sua empresa de tradução ou dando aulas de interpretação na Alumni, o maior centro de interpretação de conferências do Brasil. Já interpretou desde celebridades como Sandra Bullock e Will Smith até políticos como Kamala Harris e Michel Temer, muitas vezes em eventos com milhares de ouvintes ou transmissões ao vivo para um público global. Saiba mais no site www.pitraducao.com.br.

Paula Ianelli
(Tradutora e Intérprete)

Tradução de Jogos -
O Mercado Brasileiro

Sobre:

Edmo Suassuna é graduado em Comunicação Social - Publicidade pela FACHA e professor do curso livre Tradução de Jogos - Teoria e prática da localização de videogames na Pretexto, juntamente com Maryanne Linz. Tradutor literário desde 2004, com traduções publicadas de autores como Neil Gaiman, Suzanne Collins, Robert A. Heinlein, Naomi Novik, Richard Morgan e Glen Cook, Edmo tem mais de 10 anos de experiência na localização de jogos. Foi editor do selo Suma de Letras de ficção pop, a casa brasileira de Stephen King, onde coordenou e editou dezenas de traduções. Um dos integrantes originais da equipe de localização de World of Warcraft, da qual ainda faz parte, Edmo também foi líder da equipe de tradução de Diablo III, e participa de projetos de jogos da Microsoft, Blizzard, Riot, Epic, Bungie, Capcom, Ubisoft, Amazon e muitas outras.

Maryanne Linz (Tradutora)

Edmo Suassuna (Tradutor)

Tradução e Interpretação

Denise de Vasconcelos Araújo
(Tradutora e Intérprete / PUC-Rio)

O intérprete em 2021:
o que mudou?  

Sobre:

Denise de Vasconcelos Araujo ama trabalhar auxiliando na comunicação entre pessoas. É tradutora e intérprete de conferência há 13 anos, trabalhando com os idiomas português e inglês. É pós-graduada em interpretação de conferências (2008) e mestre em Estudos da Linguagem (2017) pela PUC-Rio. Desde 2012 é professora  do curso de formação de intérpretes na mesma instituição. Membro da AIIC, da APIC e do Sintra. Membro correspondente do Comitê de Formação e Atualização Profissional da AIIC. Em 2019 começou a página @deniseinterprete no Instagram para ter um espaço para informar melhor sobre a profissão. Coordenadora e professora da plataforma Connecting Languages, onde dá aulas de terminologia inglês-português de diversas áreas do conhecimento

Tradução de Jogos -
O Mercado Brasileiro

Sobre:

Maryanne Linz é graduada em Comunicação Social - Produção Editorial pela UFRJ e pós-graduada em Tradução Inglês-Português pela PUC-Rio. É professora do módulo de Localização de Jogos na Pós-graduação de Tradução Inglês-Português da PUC-PR. Com vinte anos de experiência no mercado editorial como editora, tradutora e revisora, Maryanne já trabalhou em centenas de projetos de ficção e não ficção para editoras como Objetiva, Bertrand Brasil, Rocco, Planeta, Zahar, HarperCollins Brasil e Record. Há alguns anos passou a se dedicar exclusivamente à indústria de jogos. Como tradutora e editora, já participou de alguns dos produtos mais importantes da indústria, como Fortnite, Resident Evil 3, Soulcalibur VI, The Walking Dead: The Final Season, Destiny 2, entre muitos outros. Trabalha em projetos de empresas como Microsoft, Epic, EA, Bungie, Capcom, Ubisoft, Bandai Namco, Amazon, entre outras.

MAIS INFORMAÇÕES
EM BREVE

 

Contato

Entre em contato através do nosso e-mail ou por meio das nossas redes sociais:

 

semanadotradutor@gmail.com

Secretaria: secretariasemana40@gmail.com

  • Preto Ícone Twitter
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube